Categorias
Tecnologia

Chromebit: o mini computador do Google

Google lançou no mercado mais um atrativo a que busca o melhor da portabilidade para a sua sala: o Chromebit. Ele é um pequeno computador com o sistema operacional Chrome OS, do tamanho de uma pequena barra de cereal e que pode ser conectado a entrada HDMI da TV. Fabricado pela Asus, o engenho promete levar até a sua simples televisão os recursos de um computador.

Converta sua TV em computador

Claro, com baixa capacidade de processamento, mas ideal para entrar na internet e visualizar sites e vídeos (a Netflix deve estar sorridente), o Chromebit entra em um crescente mercado de computadores portáteis a lembrar do próprio Chromecast, lançado a pouco pela própria Google e outros similares, como o AppleTV e até antigos Androids TVs que eram versões alteradas do Android de celulares.

chromebit-orange

Especificações do Chromebit

O pequeno computador “pendrive” vem com uma modesta configuração: processador Rockchip 3288, 2GB de RAM e 16GB de disco SSD, com conexão Wi-Fi e Bluetooth 4.0 e uma porta USB 2.0. Ele chega ao mercado no segundo semestre por menos de US$ 100. Pela imagens liberadas à imprensa, o penqueno notável virá nas cores laranja, prata e azul.

Com isso acabam-se os cabos e conexões de computadores e laptops para você assistir e navegar através da Televisão. Pequeno, pode ser levado em viagem ou até para a reunião. Cada vez mais, o computador está ficando menor e, literalmente, à mão. Também abre-se uma oportunidade para pequenas empresas que desejam instalar computadores, como uma escola, por exemplo, onde basta usar monitores com HDMI para disponibilizar novos computadordes à classe.

Fonte Gizmodo
chromebit-trio

 

chromebit-closeup

Categorias
Tecnologia

Pai da Internet alerta para Era das Trevas Digital

Vinton Cerf, ou “Vint”, para os amigos, Pai da Internet e vice-presidente do Google, afirma que passaremos por um período de Era das Trevas Digital em um futuro próximo. A premissa é simples: com o rápido avanço tecnológico, a mudança dos meios de armazenamento e memória, bem com a formatação dos arquivos não garante uma retro-operabilidade (uia) dos arquivos.

Em palestra, o executivo alerta que sistemas inteiros, não apenas os documentos armazenados estão em risco. São documentos, fotos, aplicativos, jogos e sistemas operacionais que não são acessíveis. Estamos condenando a história a não nos encontrar, afirma Cerf. Com a quantidade de dados que geramos hoje, nem tudo que é digital irá permanecer acessível para os próximos séculos.

Trocando em miúdos: nem sempre um arquivo antigo é aberto por um programa novo. E estes, sequer, são atualizados para uma nova versão. Quem trabalhou com Corel Draw e Photoshop deve saber isso em detalhes. Mesmo que se consiga abri um arquivo de versão anterior (ou mais antigo) sempre há algum elemento ou função que fica de fora. Isso, se o arquivo simplesmente não abrir.

Como uma solução, Cerf pretende propõe a criação de um sistema de emulação capaz de adaptar antigos arquivos para os vigentes. Solução que foi aplicada para os updates para a Apple, quando os Macs mudaram a arquitetura de seus sistemas de 32 Bits para 64 Bits. Gamers também tem uma boa experiência com emuladores para relembrar clássicos. Recentemente, só através de um emulador foi que conseguir matar as saudades de jogar The Dig e Full Throttle, clássicos do Point and Click dos anos 80. Sem esse artifício, eles estariam perdidos na gaveta.

Mas, até lá, Vint Cerf propõe uma solução inusitada quanto a boa parte dos arquivos digitais: que todos façam cópias físicas de seus materiais para garantir a existência deles. “Senão, teremos um enorme buraco histórico no século 21”, afirmou Cerf. “Tente ver a web de 1994, garanto que você terá dificuldades”.

Uma coisa é certa: hora de fazer backup! E é provável para a Era das Trevas Digital vai faltar papel para dar conta de tudo o que se escreve no mundo. E vocês, com vocês lidam com seus arquivos antigos?

Fonte: Digital Trends

Categorias
Geek Tecnologia

Epic Games investe no software 3D Blender

Blenderlogo-270x250Epic Games se tornou o principal patrocinador do Fundo de Desenvolvimento do Blender, também conhecido como Blender3D, um software gratuito de 3D, doando cerca de 10 mil Euros (US$ 13.500).

De código aberto, o Blender é um programa de renderização de imagens em 3D, sendo bem versátil, tanto para a criação de imagens, apresentações, animações e jogos, através de seu engine integrado, o Blender Game Engine.

Em um post no fórum da Unreal Engine, Alexander Paschall, da Epic Games, acrescentou que eles gostariam de ver o desenvolvimento da ferramenta de exportação do Blender para o Unreal Engine 4 (UE4). Esperamos ver boas novidades no futuro.

Além da Epic Games, outras gigantes do mundo dos games como Valve e Chaos Group também apostam no crescimento deste software para os games.

Fonte CG Channel

Categorias
Geek Tecnologia

Infográfico: Como é feito o update de um Android?

Entenda como acontece todo o processo de lançamento de uma atualização para celulares instalados com Android, sistema operacional para celulares do Google. Diferente do que acontece em um desktop com Windows, Mac, Ubuntu e outros, a nem sempre a atualizações dos nossos pequenos aparelhos é tão simples. Com várias empresas distribuindo e vendendo celulares com Android, nem todos tem a sorte de serem portadores da última versão.

Sempre que um update Android está pronto, os aparelhos da HTC saem na frente e são os privilegiados nessa corrida de bits. Aparelhos com Android instalados por outros fabricantes vem logo em seguida. Muito se questiona do porquê dessa diferença entre updates, versões e modelos entre os smartphones que usam o sistema operacional do Google.

Android KitKatPara sanar estas dúvidas, a HTC, fabricante dos modelos Nexus, lançou um infográfico de detalhas todas as etapas deste update, desde a liberação, teste, adaptação e homologação até chegar ao consumidor final. Nisso, percebemos que não há apenas uma atualização Android, mas sim de três tipos para os celulares: de desenvolvedor (ou desbloqueadas), as atualizações de operadoras (fechadas) e a versão para Google Play.

Vale lembrar que o infográfico também aponta os motivos por trás de tanto sofrimento de alguns Android Lovers. Entre outras etapas de configuração, testes e acertos de bugs (que já demandam um considerável tempo e dedicação), há um importante momento de decisão por parte de um fabricante. Ele vai decidir se aquela nova edição será ou não portada (ou adaptada) para os seus modelos de celulares atuais. Em muitos casos, isso demanda novos drivers e ajustes para comportar em seus aparelhos.

Isso explica por que alguns modelos recebem novas versões do robozinho verde, como o recente Android Kitkat (4.4) enquanto outros se tornam pesos de papel com o tempo. =/

Anatomia de um update Android

Todas as etapas de uma atualização Android

Fonte: Ubergizmo

Categorias
Geek Tecnologia

Metal Gear: Google entra para o ramo da robótica militar

Houve um tempo em que os robôs eram parte do folclore e da ficção. Os personagens autómatos estavam em várias histórias e jogos que tantos amamos. Eram os algozes na maioria dos casos com em o Exterminador do Futuro, e na saga Matrix. Agora a Gigante de Mountain Veiw, o Google, resolve adquirir uma empresa que desenvolve robôs e logo Metal Gear parece não ser mais uma ficção.

Boston Dynamics é uma empresa dedicada ao desenvolvimento de robôs humanoides e de quatro patas. Suas pesquisas avançaram muito nos quesitos de resposta a terreno produzindo interessantes e grotescos robôs que podem subir terreno acidentado, suportar bem além do seu peso e já há trabalhos para que reconheçam sinais e respondam propriamente.

Parece que o Google resolveu ir muito além de seus carros robotizados. Interessante notar que a Boston Dynamics tem um contrato de financiamento com a agência militar americana DARPA (Defense Advanced Research Projects Agency). Apesar de temporário, o contrato coloca o Google como desenvolvedor de material militar para os Estados Unidos.

Boston Dynamics LS3
Boston Dynamics LS3

Vídeo demonstração do Big Dog

 

 

 

E aqui, a demonstração de seu humanóide, Atlas

Aos conspiradores de plantão: será que podemos antever um futuro onde Skynet e Metal Gear pertencem a uma mesma empresa?

Crédito da imagem: Boss Logic Inc
Fontes: Kotaku e The Next Web