Fãs de Dragon Ball Z podem confirmar: os combates são o ponto alto da série animada (e dos mangás também). Explosões e demonstrações de força que sim, podem ficar ótimos no cinema, com atores. Infelizmente, a adaptação para o cinema não foi o que esperávamos.

Toda adaptação de anime e mangá que ganha uma versão Live Action é sempre rodeada de expectativa mas com um medo de que as coisas não vão sair muito bem (vamos torcer para que algo de bom venha em Akira e Ghost in the Shell).

Mas os fãs querem demonstrar que são capazes de um filme, ou melhor, uma série com atores, muito melhor do que Hollywood quis apresentar. Dragon Ball Z: Light of Hope (“Dragon Ball Z: A Luz da Esperança”), é uma produção que empolga e impressiona. A produção não é uma excelência, mas a vontade de entregar algo legal, de fã para fã, está lá. E é isso que conquista a audiência.

DBZ: Light of Hope foca no arco de história de Trunks, filho de Vegeta, que junto com Gohan, filho de Goku, lutam contra a devastação causada pelos sanguinários androides da Red Ribbon: 17 e 18. Confira:

Se com um baixo orçamento já fizeram isso tudo, imagina com tempo e dinheiro à disposição. Por isso que projetos assim, feitos por amor à obra ganham destaque. Tomara que a série decole e novos episódios sejam entregues, sempre jogando a qualidade lá em cima. =)

Produzido pela Robot Underdog, você pode conferir mais detalhes sobre o financiamento do curta além de extras e “por trás das câmeras” da produção, além é claro, de poder ajudar a divulgar o Dragon Ball Z: Light of Hope lá no Indie Go Go

Se você esqueceu (ou não viu) Dragon Ball: Evollution, confira a análise do Sin Counter sobre o filme (#spoilerAlert):

Fonte: Kotaku