Quem não se lembra destas bat-aventuras do Homem Morcego e do Menino Prodígio que rolavam nas nossas televisões pré-internet. Elas foram a animação de muita garotada dos anos 80 e 90 embora suas reprises fossem já tema de hilárias situações da série televisiva. Originalmente, a série começou em 12 de janeiro de 1966 (48 anos em 2014) com Adam West (Batman) e Burt Ward (Robin). Em pouco tempo, o seriado se tornou um sucesso nos Estados Unidos, explodindo o consumo de produtos correlatos ao título, como quadrinhos, livros roupas, fantasias e brinquedos. Se tinha a marca “Batman” estampada, era provável sucesso de vendas.

Ta-na-na-na-na-na… BATMAN!

Antes mesmo de começar, a série já sofria com os testes de audiência que indicavam risco para seu lançamento. Era para ser algo sério, mas com o tempo, mudanças ocorreram e Batman saltou do sisudo para o cômico. Nada menos que 5 Batmóveis foram usados para a série, todos adaptados de um Lincoln Futura 1955. Com Adam West no comando, a série salvou os quadrinhos do Batman de serem canceladas. Fãs do detetive ainda torciam o nariz para a versão televisiva mas, após o cancelamento, as revistas adoraram um tom mais soturno para aplacar os leitores.

O Batmóvel era um Lincoln Futura 1955

O Batmóvel era um Lincoln Futura 1955

Santa situação Batman!

As influências até trouxeram personagens dos mortos! O sempre presente mordomo Alfred, interpretado por Alan Napier (o único ator que não conhecia os quadrinhos do Batman), havia sido morto há 18 meses antes da série, foi ressuscitado nas páginas devido ao grande sucesso. Burgess Meredith nunca fumou em 20 anos, mas ao interpretar o famigerado Pinguim, o ator teve de ceder à piteira do personagem, o que resultou uma irritação na garganta, descontando seu desconforto no rouco bordão “quack, quack, quack”. Durante a terceira e última temporada, Yvonne Craig entrou para o show no papel de Batgirl, numa tentativa de atrair mais público feminino para a série, mas seu uniforme apenas aumentou a cativa audiência masculina.

Os vilões de Batman, um show à parte

Os vilões de Batman, um show à parte

E quase tivemos Batman como James Bond. Devido ao sucesso da série, foi oferecido a Adam West o papel do agente secreto no filme “007 – A Serviço Secreto de Sua Majestade” (On Her Majesty’s Secret Service, 1969). West declinou dizendo que o papel deveria ser de um britânico. George Lazenby, um australiano, ficou com o papel. POW! Fonte: Neatorama